Wild Rose

Esta planta tem umas flores – com cinco pétalas – brancas, rosa claro ou rosa forte, que se abrem entre Junho e Agosto. Brotam isoladas ou em grupos de três. A rosa silvestre pertence ao grupo da INDIFERENÇA PERANTE O PRESENTE e está relacionada com as capacidades anímicas da entrega e da motivação interior. Nas palavras do Dr. Bach, é o remédio «para quem sem razão aparentemente suficiente se resignam a tudo o que se passa e deslizam pela vida tomando-a como vem sem fazer o menor esforço por melhorar as coisas nem por encontrar a felicidade. São pessoas que sem queixa alguma se hão dado por vencidas na luta pela vida»

Falta de interesse pela vida

O estado negativo desta flor, faz com que o individuo se capitule interiormente e aceite tudo o que a vida lhe traga, renunciando a realizar-se como pessoa. É um estado de absoluta resignação, desinteresse e apatia. Deixam-se levar.

As pessoas que sofrem este estado, apresentam um aspecto aborrecido e cansado, como se carecessem da energia suficiente para viver ou estivessem sempre fatigadas. Igualmente, carecem de uma resolução suficiente para mudar as circunstâncias que delimitam a sua existência. Fisicamente poderemos reconhecer estas pessoas pelo seu tom de voz monótono e aborrecido ou pela falta de expressividade no seu rosto. Também podemos ouvi-los dizer frases como: “Não me queixo. As coisas são como são e pronto” ou “Sou um fracassado. O que hei-de fazer?”.

Iniciativa para tomar as rédeas da sua vida

A rosa silvestre ajudará, não só a voltar a ter interesse pela vida, mas também a encontrar dentro de si mesmo a iniciativa necessária para modificar as circunstâncias da sua vida no que não está conforme.

Permite para além disso reconciliar-se consigo mesmo deixando que a alegria e a liberdade fluam desde o seu interior, o que os ajudará a encontrar no quotidiano novos motivos de interesse pela vida deixando de lado, definitivamente, a sensação de rotina.

Diferenças entre flores

Para não confundir umas essências com outras, é importante ter em conta alguns detalhes.

E aqui está a diferença entre o desespero de Wild Rose e o Gorse:

Wild Rose: vive numa total e absoluta apatia. É completamente passivo e não lhe passa pela cabeça que possa haver algo distinto para sí.

Gorse: Algo mais activo que Wild Rose, não abandonou a esperança, se bem que no seu interior pensa que tem que enterra-la definitivamente e por isso desespera-se.

 

Diferença entre a resignação de Sweet Chestnut e a de Wild Rose:

Sweet Chestnut: Não se entregou no entanto, ainda que crê ter alcançado o limite da sua resistência. Não se resignou ainda.

Wild Rose: É mais passivo que o Sweet Chestnut e no seu interior, já se entregou parcial ou completamente. Totalmente resignado.

 

Carmen Morales

By | 2017-03-30T18:10:32+00:00 Março 30th, 2017|Artigos, Artigos Recomendados, Florais de Bach|0 Comments

About the Author:

Leave A Comment